Entre os dias 27 e 29 deste mês Fevereiro de 2017, acontece a primeira edição da RENEX South America em Porto Alegre/RS. No evento, a Embrapa  Agroenergia apresenta a tecnologia de briquetagem para a produção de "lenha ecológica" a partir de escórias agrícolas, agroindustriais e florestais.

 

O Rio Grande do Sul, por ser um estado que se apoia na agropecuária, acarreta grande quantidade de resíduos que nem sempre são bem utilizados, como o caso da escória do arroz. O estado, no entanto, já possui indústrias produzindo briquetes a partir da casca de arroz.

 

O subproduto pode ser melhor aproveitado se for transformado em briquetes, que podem substituir a lenha e o carvão vegetal, aproveitando assim a energia que ele possui. Esse tipo de lenha ecológica pode ser usada em vários lugares, como residências, fábricas de alimentos ou em indústrias, podendo ser o possível destino dos cerca de 600.000 t de casca de arroz sem utilização que há no RS, estatísticas baseadas em dados coletados em 2010. Em todo o Brasil, esse número chega a 1 milhão de toneladas.

 

O Rio Grande do Sul é um dos principal produtor de arroz junto com Minas Gerais no Brasil, com mais de 60% de volume de produção. Avalia-se que os proveitos industriais do arroz pronto para a venda sobram 48% na maneira de resíduos, 34% de revestimento, 5% de quirera e 9% de farelo.

Os resíduos quirera e farelo são utilizados na formulação de rações animais e 70% das cascas são utilizadas como fonte de calor no engenho de arroz. Os outros 30% tem vários usos possíveis, porém, são jogados nas redondezas dos rios ou até em lixões.